segunda-feira, 25 de junho de 2007

O pão da mãe

Quase há um ano atrás, decidi oferecer a mim própria um presente de aniversário escolhido por mim. Depois de ter tentado convencer o R. a comprar uma máquina do pão lá para casa, que peremptoriamente me diz "nós lá temos tempo para fazer pão em casa?! Tem juízo!", eu, que não sou nada determinada (sempre é mais bonito que teimosa), resolvi comprar mesmo e chamei-lhe a minha prenda de aniversário.
Chego a casa com o aparelho e dedico-me às experiências. As primeiras andaram bem perto da desgraça, a precisar de um reforço de flúor para a dentição que se aventurava a prová-lo, mas com o tempo e alguma investigação à mistura (porque eu não deixo a coisa por menos) criei uma receita que está nos tops da produção doméstica:
425 ml água
2 cl sopa azeite
2 cl chá sal refinado
300 gr farinha de centeio
360 gr farinha trigo (Tipo 65)
5 gr fermento (fermipan)
Colocar por esta ordem e sem deixar misturar o fermento na água. Ligar o programa do pão integral e quando a menina chamar, com o seu melodioso bip, pode-se juntar sementes de papoila, linhaça, girassol ou outras a gosto.
Não dá trabalho nenhum, faz-se em 5m, e é só esperar que as 3h40m passem para ir buscar o pão cozido (até se pode programar para fazer durante a noite).
E o cheiro a pão acabado de cozer pela casa é indescritível!
Desde que comprei a máquina, quase não como outro pão, e já tenho outras receitas (que posso enviar por mail a quem quiser) que resultaram muito bem: pão de trigo, pão integral, pão de canela, pão de brioche e até pão com chouriço.
A piada é que os miúdos também não abdicam do pão da mãe e quanto mais "formiguinhas" (sementes, entenda-se) tiver melhor. Com manteiga ou com chocolate, há já um ano que é este o lanche que levam para a escola, em fatias pouco convencionais, mas que despertam a curiosidade dos amiguinhos que, com um bolicao na mão, querem ir cheirar o pão deles, que tem um cheirinho muito bom. E quem diz que a alimentação das crianças não se educa?!
O R. também já se rendeu e admite que o pão sabe bem, embora não dispense a sua regueifa de Domingo (um mimalho) e até o meu pai recebe um exemplar de encomenda todas as semanas. E eu fico cheia de gosto. Afinal, a minha teimosia até valeu a pena...!!!

7 comentários:

Alice disse...

Eu acho que essa máquina de pão dá um jeitão! Dá para programar e tudo!!

Baguigolas disse...

HUmmmm, eu dou-te é a minha morada para mandares tb!
E onde se compra, o que é?! Não conheço nada disso e na casa nova era uma ideia...

claudia disse...

Ah! boa! vou experimentar! é que nunca fiz nenhuma receita para além das indicadas no manual! tenho sempre medo por causa das dosagens! isso deve dar para qualquer máquina, não? a minha é da tefal

;)

isabel disse...

Há alguns modelos, agora mais modernos que o meu (CLAtronic), à venda nas lojas de electrodomésticos (comprei a minha na Worten)e os preços variam entre os 50 € e os 80 €. A farinha de trigo arranja-se em qualquer lado, mas a de centeio compro-a mesmo na padaria (concorrência desleal, não é?)

rita disse...

não há nada como ter sempre pão fresco em casa, acabadinho de fazer!
;)

saloia disse...

EXCELLENTE Isabel!

vou seguir as tuas indicações a ver se sai bem.

o meu mais é asbravas@gmail.com se não for muito trabalho mandar outras receitas.

tb este site tem
http://www.llema.com/blog/

bj
Mary

sandra disse...

ola isabel,comprei esta semana uma (caltronit tambem),e so tenho feito mesmo a receita com livrinho, gostaria de esperimentar outras poderias enviar me por favor, se não for incomodo!
Obrigada