sábado, 21 de julho de 2007

O meu quintal


...que nem é meu, é dos meus pais. Quer dizer, é mais do meu pai, é dele de coração e da minha mãe é mais produção (sempre foi uma mulher muito prática!).

Este magnífico quintal só é meu e dos meus porque vivemos ao lado dos meus pais, com o luxo de nem termos muros a separar as nossas casas.

O "nosso" quintal tem milhentas árvores de fruto, de todas as espécies que o senhor do horto podia arranjar (o meu pai é do género de ir aos sítios e pedir uma de cada e o pior é que eu tenho bem a quem sair...).
Tem também "novidades", isto é, legumes da época para os urbanos como eu, que só passado alguns anos a ouvir esta expressão é que percebi o que significava.

Neste quintal há também uma macieira por cada neto dos meus pais, e já vão em 6...e até medronheiros, nogueiras, aveleiras e até um sobreiro que ficou do tempo da fundação.

Até pareço entendida, mas não sou, sou completamente despistada e desligada destas coisas da terra e da agricultura e só era convocada para a apanha das batatas porque tinha que ser e até o "pianista" carregava os sacos com as ditas, não sem antes acondicionar as suas mãos com umas luvas.
Eu sou tão despistada que pergunto frequentemente à minha mãe se tem este ou aquele legume para pôr na sopa e ela diz-me que sim, entrega-mo num saco, mas informa-me que se eu quiser mais é só ir ao quintal, que eles estão mesmo em frente à porta da minha casa...sua cegueta!!!

É assim, com os legumes, com a fruta, com os ovos, noutros tempos e foi preciso o meu pai falar-me da romãzeira que plantou em frente à porta da minha casa, só por minha causa, porque gosto muito de romãs, para eu me dar conta que devia estar mais atenta.
Fui vê-la, e publiquei-a aqui para que vocês também a vejam! Está linda!

2 comentários:

APO disse...

Realmente é um luxo, mas eu tal como tu não não ligo nada a esses luxos. Fui criada na cidade grande mas sem nunca perder o contacto com a agricultura e o mundo rural. Mas para plantas não tenho o mínimo jeito. Gosto delas, mas coitadinhas, até me esqueço de as regar! Ando há anos para fazer uma floreira com salsa para ter aqui à mão sempre que preciso e ainda não me determinei a fazê-la!...

ticopei disse...

Apesar de ser nata de lavradores também não tenho habilidade nenhuma para as lides da terra. Na nossa casa plantámos também laranjeiras, limoeiros, 1 macieira, 1 pereira, 1 pessegueiro e um castanheiro, para além do azevinho e do louro, e duas nespereiras (acho que 1 já morreu), mas mais por vontade e insistência do I. que minha, pois não sei tratar de plantas. Mas que vai saber bem apanhar a fruta vai... Quanto aos legumes "caseiros", conto com a produção do meu sogro, que planta um bocadinho de tudo...
Na quinta do meu avô também tinhamos uma romãzeira, poisa a miha avó adorava romãs... Saudades... Dela e das tardes que passei naquela quinta, que foi transformada num Centro de Formação Profissional, num campo de futebol e num quartel da GNR. Que pena me dá quando lá passo...