domingo, 3 de agosto de 2008

costureirinha



Desde a viagem de regresso que não fala noutra coisa que não seja a máquina de costura.

A que era minha e que agora é dela (e dos irmãos, quando eles estão a ouvir), e que entretanto estagiou uns tempos na avó.

Já decidiu que as roupas das bonecas passarão a ser todas costuradas por ela, para além das bolsas e bolsinhas, para todo o tipo de coisas e coisinhas que abundam pela casa.

Conseguiu acabar a tempo das férias uma bolsa de tiracolo que foi mais usada por nós do que por ela. E enquanto lá estivemos fez uma pulseira em crochet para me oferecer como presente de aniversário (pediu ajuda, tirou medidas e esteve sempre convencida que eu não me apercebi de nada).

Tem jeito a miúda, e o pior é que ela também sabe disso, pois não me dá tempo para grandes explicações.

Riscamos a direcção da costura, enfiamos a linha na máquina e depois é só com ela, para dar ao pedal, a um ritmo impróprio para cardíacos...

A minha introdução à máquina de costura contou com um dueto a agulhas e dedos, o que me causa ainda arrepios quando assisto à minha pequena "acelera" a costurar.

Mas com ela não vale a pena insistir, muito menos proibir, porque enquanto não se convence a si própria, nunca mais fica convencida.

Foi assim que aprendeu a coser a direito, em zig-zag, a dar a volta e a enfiar a linha na máquina. Divertiu-se a escolher linhas da caixa e a observar o efeito da mistura das cores da canela com o tubo.

Diz que somos gémeas, que para além de sermos parecidas nas feições, temos os mesmos gostos, as mesmas predilecções.

Mas uma irmã entre irmãos vê-se aflita para ser menina, e a L. acabou por não resistir ao apelo do G. para ir dar uns xutos à bola.

Afinal ainda não somos assim tão "gémeas", porque não há bola que me arranque das linhas e dos trapos. Mas a L. chega lá!

2 comentários:

alice disse...

Que gira, Isabel! :D

Celina disse...

Que sorte! Eu se algum dia tiver uma filha ia adorar que ela partilhasse estas paixões...
Tu já tens. Que bonita, essa cumplicidade!
Eu quando era pequena fiz muitas roupas para bonecas à mão, nunca me aventurei na máquina a sério. A L. é uma menina determinada!
Bjs