sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Truta


Os últimos dias têm sido tão cheios, tão agitados e com tantas preocupações que não sei como me estou a dar ao luxo de vir aqui escrever.

O de ontem começou com um reprovável atraso na entrada da escola, recomendando eu que a L. pedisse desculpa à Sra. Professora pelo atraso.

Perguntei-lhe depois se ela se desculpou e ela disse que sim, explicou à Professora que:

- Esta manhã foi um bocadinho difícil!
Ando numa roda viva por causa da deadline que eu e a minha sócia nos auto impusemos para a abertura do nosso quiosque, com tantas coisas ainda por fazer, outras a surgir e o tempo a sumir-se por baixo dos nossos pés. A vontade é enorme, o entusiasmo é indescritível, mas o cansaço é indisfarçável, com umas olheiras que me chegam aos joelhos... Não vai lá nem com pozinhos mágicos...São horas a digitalizar, digitar, cortar, dobar, enfiar, catalogar, marcar preços e projectar.

Foi isso que ontem estive a fazer na marquesa da esteticista para um dos Kits de crochet que vão estar à venda na loja, de agulha e novelo em punho, enquanto ela ia fazendo o seu trabalho. O que vale é que ela é uma boa amiga e já me conhece tão bem que não chama o INEM nestas situações.

Está prestes a começar um outro projecto que me tem apaixonado, que é a formação em crafts, que vai decorrer aqui duas vezes por semana. Estou ansiosa por não saber se vou ser capaz de responder à expectativas, estou entusiasmada com as experiências que possamos fazer e a ferver com a reacção das pessoas que vão participar neste espaço.

Não fosse uma "corda" que me amarra os pés, e os faz estar ainda firmes na terra, e eu mandava-me de cabeça para tudo isto, que me enche as medidas e preenche os meus sonhos mais antigos.Tenho o projecto na cabeça há anos, a investigação acumulada, a experiência nas mãos, mas falta o resto, falta sempre alguma coisa... Talvez um dia seja completa a concretização deste sonho. Eu sou optimista por natureza e é assim que tenho encarado os meus dias.

Lamento não poder dar um beijo demorado aos meus filhos à noite, ler-lhes uns versos dos livros que chegaram ontem no correio e dar aquele abraço que os embala a noite toda.

Não pude dar ontem, dei hoje, e a recompensa foi enooooorme!

A L. acordou a dizer:

- Ó mãe, gosto tanto que tu me acordes assim, com um beijo e um abraço. Não há pais que gostem tanto de nós como vocês!!!
O J. acordou com cócegas e riu-se muito. Disse-me:

- Sabes porque é que eu não preciso de ti?! Porque tu estás sempre aqui!

(...)

- Tu és a "truta" das mães!

- "Truta"???

- A melhor de todas!
O G. não fez birras, vestiu-se sozinho e calçou as sapatilhas sem fazer ondas e eu, satisfeita, disse-lhes:

-Muito bem meninos, hoje vamos conseguir sair cedo de casa.
Dizem eles:

- A manhã está a correr mesmo bem...
Vindo da sala, ainda me diz o J.

- Quando for adolescente, ainda te vou deixar mandar em mim, porque eu quero ser um pai bom para os meus filhos!
E não é que o dia está a correr mesmo bem, até consegui escrever.

Talvez logo vá conseguir ler uns versinhos daqueles livros...

3 comentários:

Mónica disse...

Força! Tenho a certeza que vai valer a pena todo o trabalho que têm tido para a abertura do vosso quiosque. Vai ser um sucesso!
Estou em pulgas com o inicio dos cursos.
E PAPRABÉNS pelos teus filhotes, que para além de todas as traquinices que fazem :-)), são uns amores!
Muitos beijinhos para todos

APO (Bem-Trapilho) disse...

k ternura! com recompensas assim há que repetir! :)

graça disse...

" que ricos meninos "

Graça