terça-feira, 13 de maio de 2008

invasão


Uma das pequenas cabeças foi ontem invadida por microscópicas criaturas, saltitonas e comichosas a que se costumam chamar piolhos!!!

Já me espantava que até agora nenhum deles tivesse trazido alguns desses "amiguinhos" para casa (mas não me queixei!!!).

Começava até a pensar que os meus filhos se estavam a armar em queques e desdenhassem dessa irritante bicharada, não fossem eles lhes saltarem para o couro.

Quando vi as borbulhas na nuca, ainda imaginei que se tratasse de uma alergia ou uma irritação cutânea com algum nome muito chique, que fosse lavada com uma loção muito cara, e tratada com um creme ainda mais caro...Mas não, ao telefone o Pediatra, em face da sumária descrição, rematou com um diagnóstico piolhoso que me fez ligar directamente à terra.

Mas pronto, já está! Depois da varicela, também já posso assegurar que um dos meus filhos já teve (e se calhar ainda tem) piolhos, da melhor raça e catadura, aconchegados numa farta cabeleira.

E por falar em catadura, aí é que eu me vi grega: de catada passei a catadora.

Nunca vi fazer a desinfestação porque quando era em mim o ângulo de visão não era dos melhores! E quando o crivo passava pelas cabeças dos meus irmãos, eu punha-me a milhas, com náuseas do "saudoso" quitoso.


Mas agora não, agora que venham eles, piolhos ou lêndeas, aos pares ou em grupo, que não há espécime que escape à alta tecnologia do pente metálico e do pente fino com lupa.
Pobre da minha mãe, cujos olhos não foram poupados com tanta piolhada que catou em casa e na escola !!!
Ainda me faltam duas cabeças...

14 comentários:

Donna Lú disse...

Todas nós já passamos por isso!
E digamos que essa função de "exterminadora" não é das mais agradáveis...
-Abaixo os malditos piolhos!

Dina disse...

Faz-me lembrar qq coisa... Ainda me lembro do cheiro do quitoso! Deus me livre...

alice disse...

bem Isabel, também aconteceu por cá e, em matéria de champôs anti-parasitas, só recomendo o que não contém insecticidas e outras substâncias tóxicas para os miúdos - o paranix.

Pior, pior é andar atrás deles nos cabelos finos e encaracolados de alguém que eu conheço...

Mónica disse...

Até agora essa piolhada ainda não quis nada com os meus!
Imagina nos cabelos da R.!!!

Bj

Tereclopes disse...

Dos meus muitos nenhum escapou a essa invasão,mas também te digo, enquanto não os exterminei não descansei... foi cá uma "colheita" meu Deus!...

Rita Quintela disse...

blharc!

ritacor disse...

estou solidária contigo, Isabel!
O ano passado já tinha tido por esta altura duas ou três pragas... nem me quero lembrar ;))

Boa sorte!

Celia disse...

Eu ainda sou do tempo em que se dizia:
- é porque tem o sangue bem! É possível?
que nojo!
Os meus escaparam até agora, a ver vamos até quando.

Marta Mourão disse...

Agora lembraste-me o episódio do "Conta-me como Foi" do passado domigo. Viste? :D

isabel disse...

@Marta
Não vi, mas a minha mãe "contou-me como foi" :)
"Assassinas", as avós que catavam os piolhos aos meninos, aqueles indefesos seres vivos. Que pecado! Deve ter sido hilariante!!!

Belém disse...

Esses bicharocos não fazem discriminação, pousam em qualquer cabeça. E quando vêem é para ficar. Coragem Isabel :)

Violeta disse...

Bem, trabalheira!

Carla Morais disse...

Esses pentes é que nunca tinha visto! Que "cromice"!!

Tricotes disse...

Talvez vá merecer o repúdio das restantes leitoras do blog, mas sou muito sincera, com uma descrição tão bem feita e tão vivida, confesso que até sinto algum carinho pelas mal-afamadas criaturas! :D Agora a sério, muito bem escrito este post. Parabéns!