domingo, 7 de outubro de 2007

La donna è mobile...



Viemos aqui mais uma vez, e este ano com a promessa de sermos mais fiéis aos programas.
Desta vez a "viagem" foi por Itália, com a Sinfonia Italiana de Mendelsson.
Como estes Concertos são especialmente pensados para as crianças, elas tiveram mais uma vez uma participação especial: acompanharam com passarinhos a melodia do 3º andamento da Sinfonia Italiana.
Os ditos pássaros foram sendo distribuídos a alguns meninos momentos antes da música e, dado o elevado número de espectadores infantis, não houve pássaros para todos.
Aos meus 3 só calhou um, e foi a L. a escolhida (ou escolheu-se porque foi directamente à fonte buscá-lo...).
No momento de se juntarem à orquestra com os seus pequenos pássaros, os felizardos lá foram, posicionando-se ao redor da orquestra.
O G., apesar de não ter sido contemplado com nenhum exemplar, também foi, empunhando na mão um carrinho de brincar que escapou na triagem da saída do carro. Ali se manteve, com algumas dezenas de meninos, a acompanhar a música com o seu carrinho no ar, quando os outros o faziam com os pássaros. À saída de cena, e quando percebeu que realmente havia alguma coisa que lhe faltava, deixou-se ficar para o fim e "fez-se" literalmente ao passarinho que estava nas mãos do apresentador.
Voltou satisfeito para o seu lugar e certamente a pensar que era mesmo assim.
É bem português e só pode ser mesmo desenrascado...!
A última obra do Concerto foi cantada, "La donna è mobile", por um extraordinário tenor, que representou exemplarmente a letra da música.
Como nos foi explicado, esta música relata as variações de humor típicas das mulheres que os outros, está-se mesmo a ver, os homens, têm que saber aguentar. Como se disse com muita piada: elas têm dias!!!
Eu, que até ando um bocado mal disposta, com uma telha considerável e o meu humor é capaz de não ser dos melhores, fiquei a pensar se aquela serenata não foi para mim?!!!!
...qual piuma al vento...

2 comentários:

Graça disse...

Olá Isabel
Claro que não foi para si, nem para nenhuma mulher, visto que não somos nada como penas ao vento, (qual piuma al vento )bem pelo contrário somos como árvores que não há vento que as tombe.Convém não esquecer que esta melodia foi feita por um homem ... ...
Já agora como está o Félix ? Espero que não tenha voado ou melhor ainda não se tenha desfeito.
Pois, e eu lá estive mais uma vez sòzinha dado que os meus foram para fora num fim-de-semana em que a mãe, que anda à volta dos números, não os pode acompanhar.

Até quinta.
Bjs
Graça

isabel disse...

Está vivo e recomenda-se!
Ainda posou para a fotografia...