segunda-feira, 9 de março de 2009

pas de deux

Quando ainda sobram sextas-feiras sem trabalho, quando ainda falta um ano para fazer 6 anos, mãe e filho podem brincar a dois.
Só por um dia, os trabalhos esperam e o G. pode, de vez em quando, ser filho único!

Ele aprecia e eu também.
De vez em quando é bom ser mimado a sós, e esquecer que é um de muitos.
Jogamos as damas, a aldrabar as regras, porque nenhum dos dois se importa.
Com papel, tesoura e aguarelas desenhou-me numa flor e coloriu-a sem pressa.
- Pendura ali na parede, ao lado da minha.


E à tarde, já sente saudades dos irmãos.

1 comentário:

Marta Mourão disse...

Também adoro jogar às damas :)