terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Luzes de Natal


Na terra dos Pais Natais, como apelidou o meu sobrinho mais velho, em que quase todas as casas têm as janelas, varandas, chaminés e jardins iluminados, a nossa casa tem resistido à iluminação exterior. Não é por falta de desejo da pequenada, que bem apela e compara, mas admito que, por insistência minha, as luzes só se ligam cá por dentro.
Este ano, no entanto, fui excluída da votação e tive que aceitar a iluminação do damasqueiro da entrada.
Mas ontem, no regresso a casa, num dia mais iluminado que o habitual dos dias do J., ele repara:
- Estas pessoas não devem ser felizes...
- Porquê?- pergunto eu.
- Não têm luzes em casa. Não conseguem sentir a alegria do Natal!
Então ilumine-se não só a árvore, mas também os frutos, os jardins e a casa toda.
Que venha a luz que traz essa alegria que tem andado arredada por aqui.
E numa onda de luz, também o mais pequeno chegou feliz da escola por ter pintado um estrela cardente.

6 comentários:

Belém disse...

Este momentos são mesmo mágicos para as crianças. Quem me dera ainda acreditar no Pai Natal :)

Mónica disse...

Vamos lá acender mais luzinhas de natal! Até eu gosto quanto mais eles :))))

Lou* disse...

O Natal toma outro sentido sente-se de uma outra maneira, ganha uma outra importância quando temos assim uma familia.
Não é?
:*

celia disse...

Também sou da tua opinião. Para mim é mt mais importante o interior da casa, o nosso núcleo, onde as luzes devem brilhar mais, e durante o ano inteiro...
Quantas casas iluminadas pelos exteriores nós vemos, que no seu interior não têm brilho? Por outro lado compreendo perfeitamente o teu filho. Para ele, e para a generalidade das crianças o Natal é mais um momento onde a sua inocência é tocada por esta magia.
Então por que não alinhar com eles? O que importa é que se sintam realmente felizes, e os teus são de certeza!!

Tereclopes disse...

Com muito pouco, por vezes, se faz uma criança feliz e alegre. Se assim é, por não? vamos pôr luzinhas no Natal, no interior, no exterior e onde nos apetecer. Afinal de contas cada qual sente a magia à sua maneira não é? se a maneira do teu filhote a sentir, é com luzinhas vamos lá pô-las, que interessa o resto.
Beijinhos e muitos dias felizes e alegres para todos.

saloia disse...

Nos EUA havia ruas que tinham não bem competições mas gosto de ter mais luzes do que o vizinho! E depois havia transito nessas (por norma) ruas calmas por pessoas que vinham de outras localidades para ver essas casas cheias, cheias de luzes. Pode parecer um exagero mas que bonito era e alegria para os grandes e pequenos! :)*

Tudo de bom

Mary