quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

zero euros

O G. perguntou:
- Se eu estivesse à venda numa prateleira tu compravas-me?
- Claro que sim!!!
- E quanto dinheiro davas mim?
- Todo!
O pai provoca:
- E tu, compravas a mãe?
- Sim! E pagava zero euros.


Como dizia o meu avô, o G. "deu-me um bigode". Não se pode dar um preço a alguém que se gosta tanto assim.

4 comentários:

Pietra disse...

Que querido!LOL
Bjs

maria da graça disse...

Bom dia Isabel,
Benvinda novamente à conversa, já sentia saudades suas. As crianças tem saídas muito engraçadas. Vou aproveitar uma, do meu irmão, que a minha mãe costuma contar. O rapaz ( agora com 51 anos )para apurar de uma forma clara a quantidade do dinheiro perguntou : Biliões e catreliões é o nosso quintal cheio de dinheiro ?
Nunca consegui apurar se catreliões de dinheiro seria assim tanto, mas dada a dimensão do nosso quintal iria dar-nos, de certeza, uma vidinha desafogada.

Já agora confesso que não me identifico totalmente com rituais com data marcada, no entanto não posso deixar de desejar, neste inicio de ano muito saúde para todos nós, que nos encontramos neste cantinho, e também para todos os nossos.
Maria da Graça

Eva Lima disse...

Há coisas que não se quantificam, ele tem razão.

Marquita disse...

Ai os miúdos... :-)))