segunda-feira, 13 de outubro de 2008

ciclos

- Vem ver um "A" aqui no chão. Vem ver, é mesmo um "A"!


- E olha aqui outro e mais outro...eia, tantos "A's"!!!

No último ano do ensino pré-escolar, os meninos tomam o cheirinho das letras e dos números, feitos meninos grandes, quase a entrar para a primária.

Lembro-me que também foi assim comigo, da mesa e da cadeira na "sala da pré", com um caderno de duas linhas para dar o jeito à letrinha redonda.

Mas também me lembro de não ter companhia na cadeira ao lado, de me aborrecer com a brincadeira dos meus colegas, e de ficar ansiosa por ir para a escola da minha mãe e assistir às aulas "da primária" durante toda a tarde. Já o fazia desde os 3 anos, e foi assim que aprendi a ler no quadro preto que "o pai leva o pópó", de lá do fundo da sala.

Agora é diferente, a preparação faz-se mais cedo, e antes dos 6 anos já há trabalhos para casa.

O G. tinha que encontrar palavras com a letra A, recortar, colar e circundar com uma cor diferente para levar no primeiro dia da semana.

Fê-lo com gosto e com a preocupação de não se esquecer e, enquanto falávamos, reparava que as palavras que dizíamos também tinham a letra "A", uma ou duas até.

Agora também não há primária, há ciclos e já conto com dois cá em casa.

Tenho que reconhecer que estas mudanças de ciclo nos andam a pôr a cabeça a circular, numa agitação e ansiedade que espero mesmo que seja cíclica.

A entrada do J. para o 2º ciclo não tem sido pêra doce, que nos tem obrigado a encontrar mais horas no dia, e mais métodos de estudo, e mais estratégias de estímulo e mais momentos de descontracção, porque não se cresce só a trabalhar.

Apesar de a escola ser de eleição, a qualidade de ensino faz jus à fama e o menino tem que dar à perna se quer acompanhar o ritmo de ensino. Muitos livros, outros tantos cadernos, e muitos deveres a cumprir todos os dias.

Este é também um desafio para nós, que estamos a aprender a ser pais de um menino no 2º ciclo e, sem dramatismos, não tem sido fácil.

Contamos com a ajuda inestimável dos avós, professores de profissão e vocação, que revivem os anos de ouro da sua vida, com um aluno especial que, apesar de mostrar resistência, sorve tudo o que ouve, procura aprender tudo o que pode e diz que agora é que percebeu bem as contas de dividir.

- Avó, tu és mesmo boa professora!

E eu garanto que sim, que agora as reaprendi, irremediavelmente viciada na máquina de calcular.

A mudança de ciclo também é sentida pela avó, completamete atarefada, consideravelmente mais feliz por reviver um ciclo tão importante da sua vida, em que preparou para o 2º ciclo os que vieram a ser os melhores alunos da escola. Não me fica mal dizê-lo e é mais do que justo!

Para treinar a leitura, o avô procura peças de teatro para ler com o J., a ver se lhe passa o vício...

O 3º ano da L. também nos dá que fazer e que aprender, e se eu já não me lembrava, nunca mais esqueço que durante o processo digestivo, forma-se o quimo, que vai depois para os intestinos e tal e tal e acaba no ânus, que agora não se chama rabo, e nós afinal andávamos todos enganados.

A matéria está de tal maneira estudada que às vezes ela escorrega para o exagero e há dias, ao jantar, quando partíamos o peixe para os pratos, a L. corrige de imediato o J. que pede o rabo do peixe.

- Não é rabo que se diz, é ânus!

Aproveitando esta onda de ciclos, vou ver se dou um novo ciclo a este blog e passo por cá mais vezes e com mais tempo, porque me dá muito gosto!


Legenda: cavalo de lego, vestido de fio de lã, com toucado de noiva e o pompom é capaz de ser o ramo da dita. Às vezes dá-lhes para estas habilidades e eu acho-lhes piada...



5 comentários:

Virgínia disse...

sabel, mas que saudades de ler um post teu!! Não te conheço e já estava a ficar preocupada! Será que aconteceu qualquer coisa? Ou será a vida de mãe de muitos?
Sim, por favor, arranja uns minutinhos para nós também :) Adoro o cavalo!!

Virgínia disse...

Sabel é muita confiança, queria escrever Isabel, obviamente :)

isabel disse...

Qual "muita confiança", Virgínia!!! Quem está desse lado também é meu amigo e é por isso que gosto tanto de estar por aqui. Obrigada pelo carinho
;)

maria da graça disse...

Olá Isabel
O 2º ciclo é muito diferente do 1º, sinto-a muito preocupada...
C A L M A . A criança tem que se habituar aos muitos professores, aos muitos livros, aos muitos trabalhos, é tudo muito e ele é muito pequeno, e ainda por cima os pais, os avós, os irmãos, etc. Ele vai conseguir atingir os objectivos, mas é preciso dar-lhe algum tempo. Parece-me que este é o síndrome dos filhos mais velhos, são eles que estão sempre em estreia, sempre na ribalta, todos os olhos focados neles. O contrário acontece aos filhos mais novos ( foi o meu caso) nunca fui novidade para nada já todos sabiam o fim da história, o que me aborrecia solenemente. Vai ver Isabel, daqui a nada, as preocupações com o J. já não são as do Colégio mas sim a Internet, as pesquisas, o aproveitar para jogar o TRIVIAN, que por sinal vicia imenso os miúdos , e é muito difícil explicar-lhes que não nos podemos viciar, devemos ser independentes. Bem, Isabel ... mas isso são outras histórias, futuras crónicas ... como diz Joel Cleto.
Bjs e vai ver que daqui a pouco tudo entra nos eixos.

Maria da Graça

Tereclopes disse...

Olá benvinda! tenho andado por aqui assiduamente à espera de noticias tuas.
A fase que estás a passar com os teus muitos, é na verdade muito cansativa (eu que o diga...) mas é também sem sombra de dúvidas muito gratificante.
Muita sorte para o estudos deles todos e muita paciência para os pais que bem precisam dela.
Vai "postando" sempre que possas pois é muito bom ler os teus testemunhos.
Beijinhos Isabel